ÁREAS DE ATUAÇÃO

Atendimento

Psiquiátrico

O atendimento em saúde mental tem o objetivo não somente de identificar a presença de sofrimento psíquico ou de transtornos mentais, assim como compreender as vivências e conflitos pregressos ao desencadeamento de sintomas e os estressores atuais.

 

Com base nos conteúdos explorados nas consultas, traça-se um plano terapêutico em que aspectos globais da saúde física e mental dos paciente são considerados e a necessidade ou não do uso de medicamentos é criteriosamente estabelecida. A introdução de terapias adjuvantes como psicoterapia individual, familiar, dentre outros abaixo expostos é proposta caso a caso.

 

Dentre nossas principais áreas de atuação estão:

 

- Transtornos do humor (por exemplo: depressão, ciclotimia, transtorno afetivo bipolar)

- Transtornos de ansiedade (por ex. transtorno do pânico, ansiedade generalizada, fobias específicas, transtorno obsessivo-compulsivo, transtornos de estresse pós trauma)

- Transtornos relacionados ao uso de álcool, tabaco e outras drogas

- Fibromialgia e síndrome de dor crônica

- Insônia

- Estresse/ Disforia/ Irritabilidade

- Tratamento da síndrome de burnout

 

Psicoterapia

Individual/ casal

A Psicoterapia favorece a elaboração de conflitos e o crescimento emocional do indivíduo ou de um casal, a partir da compreensão e manejo de questões que levam ao sofrimento, distanciamento ou dúvidas.

 

A psicoterapia também constitui um espaço para o auto-conhecimento e para o entendimento do funcionamento mental e emocional, que culmina em aprendizados para lidar com diversas situações da vida e auxilia no enfrentamento dos desafios cotidianos. 

Orientação

Familiar

Determinados comportamentos manifestos pelo indivíduo em tratamento ou a procura de ajuda podem desencadear crises, culpa, tensões ou dificuldades de relacionamento ou instabilidade na organização familiar.

 

As sessões de Orientação Familiar tem por objetivo nortear os comportamentos da família que possam auxiliar na modificação e melhora do comportamento disfuncional do paciente, assim como fornecer ferramentas para a busca de soluções para os conflitos desencadeados pelos sintomas ou personalidade do paciente.

 

Estudo científicos consistentemente apontam que o engajamento da família no processo de recuperação do paciente portador de transtornos mentais de diversas naturezas, como os transtornos relacionados ao uso de substâncias, transtornos de personalidade, transtorno afetivo bipolar, dentre outros, é de extrema relevância.

 

No que tange à dependência de álcool e outras drogas, os atendimentos às famílias ocorrem presencialmente e consistem em técnicas de motivação para o tratamento, identificação de comportamentos ligados ao uso ou às consequências do uso abusivo, precauções e enfrentamento para os momentos em que o paciente se encontra mais irritável ou agressivo, bem como identificação de conflitos familiares pregressos, antecedentes familiares para uso de substâncias e identificação das barreiras na comunicação da família.

Avaliação

Neuropsicológica

A avaliação neuropsicológica tem por objetivo investigar as funções cognitivas (conhecimentos complexos) e práxicas (atividade motora fina) dos pacientes, buscando elucidar os distúrbios de atenção, memória e sensopercepção, além de alterações cognitivas específicas como gnosias, abstração, capacidade de raciocínio, cálculo e planejamento, bem como seus diagnósticos diferenciais.


A avaliação utiliza testes neurológicos e psicológicos específicos, padronizados e validados, realizados em etapas sucessivas, baseados em dados comparativos, segundo o esperado para cada faixa etária, nível socioeconômico e escolaridade. É utilizada para nortear indicações terapêuticas medicamentosas e de reabilitação, com técnicas específicas aplicadas aos diversos transtornos mentais, assim como para alterações cognitivas graves decorrentes do uso problemático de drogas, entre outros.

Dor Crônica

Dor crônica é uma doença debilitante com consequências nefastas para a condição física, psicológica e comportamental do paciente. Estima-se que cerca de um terço da população a apresentará em algum momento durante a vida. 

Pesquisadores do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo mensuraram a existência de uma forte relação bidirecional entre ansiedade ou depressão e algumas doenças físicas crônicas. Dos cerca de 11 milhões de moradores adultos da Região Metropolitana de São Paulo, 10%, ou 1,1 milhão de pessoas, tiveram depressão nos últimos 12 meses. Já os transtornos de ansiedade acometem mais de 2,2 milhões de paulistanos, sendo que 990 mil apresentam dor crônica também. Seguindo esse cálculo, no total, mais de 2 milhões de pessoas convivem com depressão ou ansiedade associadas à dor crônica apenas na Região Metropolitana de São Paulo.

 

O estudo dos fatores que desencadeiam a dor crônica, bem como seus mecanismos de inibição, é realizado em amplo espectro e contempla aspectos neurais como também comportamentais, emocionais e mesmo socio-ambientais. Hipotetiza-se que assim como as células do sistema de defesa são ativadas quando há uma invasão por um agente patógeno, o estresse psicológico em uma situação emocional ou mesmo ambiental pode ativar o sistema inflamatório.

Dentre as condições clínicas que, no decorrer do tratamento, podem justificar internação, mas que dependerão da avaliação expressa da equipe e da concordância do paciente e seus familiares, estão: dificuldade do paciente iniciar abstinência ou da equipe médica manejar sintomas graves provenientes da abstinência do álcool ou drogas fora de ambiente protegido; sintomas psicóticos induzidos pelo uso de drogas; ideação suicida, tentativa de suicídio ou planejamento suicida referidos pelo paciente ou clinicamente identificados. 

Quando a internação é necessária e a internação domiciliar foi desconsiderada, elaboramos uma programação para cada paciente com base nos aspectos individuais, a realizamos com a anuência do paciente e desejo deste em se tratar nesse modelo.

 

Não realizamos internações compulsórias ou sem a concordância expressa do paciente e de seus familiares.

 

Nossa equipe comunica-se diariamente para aprimorar estratégicas de cuidado do paciente e se reune presencialmente uma vez por semana para discussão de casos.

 

Emergências &

Internação

Assessoramento
Esportivo e prática de xadrez

O objetivo do Programa de Assessoramento Esportivo da Clínica Camila Magalhães é restabelecer ou aprimorar as capacidades físicas do paciente, com foco na melhora da saúde mental e global do indivíduo.

 

Nossos profissionais de Educação Física atuam com competência e responsabilidade, no acompanhamento de pacientes durante todo o tratamento, a partir de um Programa Personalizado de Atividades Físicas, específico para cada tipo de transtorno.

 

O programa de atividades físicas também pode ser utilizado com enfoque na diminuição e remissão de sintomas específicos, por exemplo, para a melhora do foco, diminuição de sintomas de ansiedade ou irritabilidade e aumento do prazer.

 

O condicionamento físico depende do estágio de desenvolvimento das capacidades físicas individuais, tais como: resistência cardiorrespiratória, força, velocidade, equilíbrio, flexibilidade e coordenação. 

 

Dentre inúmeros benefícios advindos da prática da atividade física para a saúde física e mental, apontados na literatura científica estão: 
- Melhora do condicionamento cardiovascular e da capacidade funcional

-Melhora dos perfis metabólicos e necessidade de menores doses de medicamentos prescritos. 
- Prevenção de doenças crônicas ou melhora do curso de determinadas doenças. 

- Aumento do período de remissão dos transtornos mentais.
- Melhora da autoestima e da qualidade de vida.